musica

12 de mar de 2012

Mulher




 




Anônimos

Giordana Medeiros

Em uma rua qualquer, em alguma cidade (que bem pudera ser nenhuma), nesse lugar em que também estou, a vida pulsa. Homens e mulheres seguem suas vidas sem futuro e crianças brincam imaginando que viver é simples (pobrezinhas…). Mas, nem esses nem aqueles têm certeza de que há um porvir. Somente vivem. Correndo atrás de uma bola, os meninos querem se tornar jogadores de futebol, as meninas, por sua vez, sonham com a vida de modelo, foi-se há muito a época em que as mocinhas desejavam a vida de normalista, veterinária ou médica. Hoje o mais rentável é entregar-se à sociedade de consumo. Desvalorizam-se as profissões, despreza-se o trabalhador, nesse admirável mundo novo em que todos usam vendas para não enxergar a verdadeira ordem das coisas. E essa se mostra gritante aos olhos. Cintila como um luminoso de neon, mas a humanidade cega-se, para justificar o desprezo à educação. É uma cegueira que se difunde sobre o mundo como imaginou Saramago no seu famoso Ensaio. Pessoas anônimas que vivem. Estranho imaginar que externo ao que somos a vida também existe. Como conceber que há vidas estranhas a nós? Corações que batem solitários, ali no cachorro que remexe os dejetos da lixeira, naquele menino que empina uma pipa, no homem que acende um cigarro, na mulher que derruba um saco de compras no chão de onde fogem duas laranjas que rolam no asfalto entre os carros. Há tanto para se ver nesse mundo, que mesmo pequeno, para as pernas curtas de um homem e seus horizontes diminutos, não será totalmente percorrido numa única vida. Temos 80 anos e não 80 dias para percorrer todo um planeta. Mas a volta ao mundo não pode ser completada em sua totalidade nessa vida, que mesmo longa é diminuta. Somos um ínfimo segundo na existência do universo. Esse homem que percorre a calçada com um saco de pães frescos na mão provavelmente será esquecido pelo mundo. A humanidade reconhece a perpetuidade histórica para poucos. Os demais somos todos fadados ao esquecimento. Minha memória também não é muito boa. Despreza acontecimentos importantes, e coisas das quais precisava recordar-me acabam se apagando sem que possa por em prática. Muitas histórias se perderam no travesseiro, planos que se esvaem em sonhos, talvez algum dia retornem. Espero que sim. Mas só espero. Não posso fazer nada mais que aguardar. Nossa mente é estranha, não tem lógica como os computadores, e mesmo esses são imprevisíveis. Quem nunca perdeu algo muito importante devido a falhas no programa dessas máquinas incríveis? Vou me perdendo no hábito. Minha imaginação que foi feita para muito mais que o limitado cotidiano oferece, se cerceia a alguns lampejos de idéias que morrem na impossibilidade de concretização. E nesse mundo de pessoas sem identidade, onde nada é mais como era antigamente, aventuro-me a ser. Vou existindo, mesmo que não me vejam. Sou um ser, mesmo que ser seja uma idéia diferente de existir. Ser, é possuir, e não tenho nada. Somente aconteço. E ninguém se dá conta disso. Talvez porque não sejam também. Nós acontecemos. Existimos tão somente. Assim nesse mundo quieto cheio de hábitos, no silêncio e monotonia desse crepúsculo, dá vontade de fazer alguma coisa, qualquer coisa, mesmo que não tenha nenhuma importância. Assoviar, muito embora não se saiba o ritmo daquela canção (que canção mesmo?),ou ligar o rádio, ou, até, abrir o vidro do quarto, mas não faço nada. Fico parada, na janela, observando a vida passar. Olhando para fora e enxergando para dentro. Tudo existindo discretamente, exceto a lua, que vai surgindo resplandecente no céu. As crianças saem das ruas, atendendo aos berros de suas mães que determinam que se lavem para o jantar. E ficam tão somente os jovens enamorados, em suas conversas cheias de suspiros nos portões das casas. Estou um tanto triste. De vez em quando a gente fica triste sem saber porque, tristeza sem motivo, que chega sorrateira e, de repente, toma conta de todo o seu ser.

É o gelo que tenho por dentro que não consigo entender. Estou tão sóbria que me considero um tanto amarga, irônica por que não? Acho que nunca provei da felicidade, esta embriaga, engana os sentidos. Estou muito seca nessa noite cheia de ilusões. Vou escrevendo sob um manto de estrelas e, pela janela do quarto, o silêncio chega até mim. Vou sorvendo goles de realidade, misturados com doses de desespero. E lá fora há o mundo. Fora dessas paredes brancas, dessa prisão de concreto, desse quarto em penumbra, há toda a liberdade da qual me desprovi voluntariamente. Há um mundo de pessoas anônimas, gente sem importância, tantas vidas que não me interessam por completo. Tanto quanto não interesso a elas. Vamos nos perdendo na nossa individualidade mesquinha, no egoísmo de nossas vidas diminutas. Eu nesse recinto em que um quadro na parede tenta me lembrar que imaginação é mais importante que conhecimento. Mas me fogem idéias para escrever. Somente acompanho o início dessa noite de solidões. Todos sozinhos, eu e o resto da sociedade. Mundo de homens abandonados a sua própria sorte. Rejeitados pelas divindades. Não adianta rezar para que vejam aquele menino maltrapilho deitar na calçada sobre uma folha de papelão. A vida dessa criança desprezada por Deus não tem qualquer importância. Por que? Por que somos tão insignificantes? Por que não há ninguém que olhe por nós? Por que estamos tão sozinhos? Não há quem nos segure a mão e acompanhe como o faria um pai ao seu filho que tenta ensaiar seus primeiros passos. Estamos confusos com tantas possibilidades e nos perdemos em vias que não levam a lugar algum. Por que temos este livre arbítrio que ao contrário de nos ajudar somente nos engana um tanto mais? Estamos livres e presos a nossa liberdade. Corpos nus para enfrentar a guerra de existir. Nascemos tão indefesos, suscetíveis a todo e qualquer perigo. Não há quem nos proteja. Estamos em perigo. Queria apenas poder dar a mão a alguém e acompanhar esta pessoa por seus caminhos tortuosos, porque isso foi sempre o sentido que imaginei de felicidade: poder auxiliar alguém a achar seu próprio destino. Mesmo que não tenha ainda encontrado o meu. Este estado das coisas é muito novo para mim. Verdadeiro, curioso, algo que não esperava. É atraente e pessoal. Estranho ao ponto de não conseguir expressá-lo em palavras, queria ter o dom da pintura porque o agora só pode ser retratado numa tela, com uma infinidade de tintas como as cores do crepúsculo em Brasília. Eu me sinto atraída por este inusitado estado das coisas, porque sou atraída pelo desconhecido. E são tantas vidas anônimas que me excedem. Fora do universo que sou, há outros universos, almas infinitas que serão esquecidas no decurso da história. Eu sei que existe e sempre existirá alguma coisa ausente. O verdadeiro sentido das coisas que nos escapa. Mas não penso nisso agora. Não quero me preocupar. Vou sendo, mesmo sem possuir. Existindo sem ter. Desprovida de qualquer coisa que era essencial, talvez esperança, ou amor. Não consigo amar, porque tenho medo de possuir outro coração e da responsabilidade de cativar e cultivar uma relação. Por isso vou me perdendo nesse anonimato, em que não há quem me veja. Nesse palácio que me cerceia como uma masmorra, porque me fecho em mim. Abro as páginas dos livros, e vejo, no mundo de papel, mais lógica que naquele em que pisamos todos os dias. Ainda bem que existe ainda muito tempo, para tentar fazer deste estranho mundo o que esperamos. E também agradeço por existirem outros sonhos, e essa necessidade cósmica que nos protege de nós mesmos. De repente não é preciso mais fingir nem fugir. Estamos sendo, na nossa existência desimportante, em que ninguém nos vê. Sonhos anônimos, como histórias não escritas, que se modificam no tempo. Depois vem um tal de Homero e imortaliza tudo isso. Vou me perdendo nessas noites escuras em que não se tem vontade de fazer nada, interiorizando o externo. Nesse mundo de pessoas solitárias em que nossas solidões se comunicam. E ficamos tão aterrorizados com isso e com o fato de entender nós mesmos, de ver o mais profundo do que somos… Sempre tentei ampliar a noite, para poder preencher-la de sonhos e divagações… Talvez assim possa ser muito mais que esse ínfimo átimo na existência do mundo. Poder sonhar é meu dom mais importante. Nesse cismar quase não ouço o celular soando desesperadamente, informando que é chegada a hora de abandonar a janela e voltar para o mundo em que não se sente.




A beleza de uma mulher não está nas roupas

que ela usa, na imagem que ela carrega ou na


maneira que ela penteia os cabelos.


A beleza de uma mulher tem que ser vista a


partir dos seus olhos porque essa é a porta


para o seu coração, o lugar onde o amor


reside.


A beleza de uma mulher está reflectida na sua


alma. Está no cuidado que ela amorosamente


tem ( pelos outros ) e na paixão que ela


demonstra em ter de ser mulher...


E a beleza de uma mulher com o passar dos


anos, APENAS CRESCE !!!


António Soares crditos ao blog http://oceanosemfim.blogs.sapo.pt/2005/01/
http://moncoeursauvage.wordpress.com/2011/04/21/866/

1 de mar de 2012

✿ܓas coisas antigas na casa reformada

ܓ
 MINHA VIDA....... começou a 6 anos atras quando realizei meu sonho de morar em um pequeno sitio na cidade do Espirito Santo ES



Este é meu segundo blog envelheci muito depois que vim pra cá o sol a roça e a falta de protetor acabou comigo espero não DECEPCIONAR   quem me conhece mas estou me coitando e estou muito feliz
Eu tenho um lindo lugar para mostrar a você!



estávamos na lida e paramos aqui onde essas belas viagens de galinhas ao redor do quintal


COISAS ANTIGAS


Nós começamos aqui na entrada . Ele está pronto para começar relvado e um revestimento de tinta para pequenas, é corrigir-! Mas convidando você esta o assunto e você se sentir bem seja bem-vindos .

Aqui na entrada, você está convidado! não terminou ainda. entre ou vá la  no  jardim não repare a pintura



Um banquinho   está pronto se precisar de algo para se sentar quando você tirar os sapatos. Ou simples mente para sentar e apreciar a vista por um tempo.  Ou você pode apenas sentar aqui e apreciar a bela vista. Mas eu acho que você vai `ficar horas a olhar o jardim


entre de dois dê uma olhada


A bela branco e muito antigo porta , levando-nos para a luz novamente . Há cinza pisos pintado. Todos os materiais são velhos e gastos. A pequena escada leva até a casa de três quartos.
Há camas em uma fileira. 





muitos!hospedesDeve haver espaço para coisas da cozinha

Você vê que há um fogo no fogão?
Não é apenas porque precisávamos para nos aquecer ....
Você vê a chama

Quando se está em uma casa velha, estamos tão inspirados para tentar viver um pouco como era como antes. Então, desta vez nós também vamos cozinhar no velho fogão.
Quando estamos em uma casa velha como esta, queremos tentar viver na velha forma tradicional.
Então, nesta hora que queria-Mós os dois fazer a nossa comida


Por isso, foi apenas para o fogão para cima. Cheio de madeira     linda que queimou quente e longo prazo.
O forno possui uma câmara de combustão para a esquerda e um espaço aberto durante toda a folha de cozimento para que o calor da madeira se espalha em toda a superfície que se torna uma boa e calorosa. 


Aqui nesta casa, pendurar a panela na parede, o equipamento necessário é direito ao lado do fogão a lenha e está convenientemente localizado perto. Tudo projetado para o mais simples e mais conveniente para cozinhar
Nesta casa as instalações está na proximidade prática.

E este, eu garanto-tem o seu encanto!



O radiador é também uma caldeira que está sempre cheio com água morna. Assim, pode-se lavar as mãos como aqui não há água quente. E o chão é balde de água com a água fria que é levada para fora
Um jarro grande cheio de agua morna estão de pé sobre o fogão. Você pode tomar alguma coisa e lavar as mãos!

E as pessoas que viveram aqui viviam mais isolados dos outros do que aqueles que viviam na parte da serra la em baixo. . Era preciso fazer as coisas sozinho e usar o que tinham por um longo tempo.
Um monte de aparelhos caseiros e antigos.

As caldeiras e um número de facas neste lugar tem uma história engraçada :
Eles são de fato feitas no local! Mas não por pessoas fazenda . Havia viajantes (ciganos) aqui.
E é usado até hoje! (E eu adoro isso!)

Gosto de usar as coisas velhas e outra Eles são tão resistentes e excepcionalmente podem durar Muitos, muitos mais anos.

Foi difícil escolher qual sala eu iria mostrar-lhe primeiro. Porque é tanta beleza nesta casa ...(pois eu acho e velha mas amo )

a vida


✿ܓHistorias de minha vida.....




Você nunca sabe o que pode fazer até que você fazê-lo dois passos à frente Você já ouviu todos os clichês: que não te mata te faz mais forte, sentir o medo e fazê-lo de qualquer maneira. Fui refletindo sobre coisas difíceis e acho que uma das grandes coisas sobre o envelhecer é que você sabe que você tem lidado com as coisas mais difíceis no passado e sobreviveu. Anos atrás, eu estava prestando um concurso para a area de nutricionismo A primeira vez que ia fazer num concurso Eu não conseguia dormir. A noite antes da minha primeira entrevista eu acordei a cada hora, meu estômago revirando. Naquela manhã, eu não podia comer o meu almoço e quando cheguei al local, passei a primeira meia hora no banheiro sentada Uma mulher mais experiente estava sentado comigo. "Você está bem? pronto para isso?" ela disse. "Sim, eu estou pronta." "Não se esqueça. É muito pior para ele que é para você." E lá fomos nós. E foi bem. Perguntou eu respondi fiz as provas e passei Eu tentei ser firme, mas justo

economizar


como posso economizar no lar ✿ܓ



Algumas dicas para economizar no supermercado!




Frutas, verduras e Legumes. Evite comprar produtos que estão fora da época, eles custam mais caro.


Sabão em pó. Procure comprar 2 tipos de sabão: um mais barato para lavar roupas que sujam menos e um mais ativo para roupas mais suja, ou delicadas, assim você economiza.


Papel higiênico. Faça sempre a opção por pacotes de mais unidades.


Refrigerantes. Procure os maiores.


Desinfetante, produtos de limpeza e detergente. Avalie sempre a relação custo – benefício – utilidade, pois existem produtos com preço 10% mais caro, que podem render até 30% a mais.


Enlatados. Faça comparação com embalagens Tetra Pack, sempre existem diferença de preços entre eles.


Leite e derivados. No período de calor existe o aumento da disponibilidade de leite, nesse momento pesquise os preços dele e de seus derivados, existe uma grande variação.


Lâmpadas. Sempre prefira as mais econômicas ao invés das comuns, a longo prazo sua economia de energia compensará o preço mais alto da lâmpada.


Higiene pessoal. Pesquise bastante, pois existem várias marcas e a variação de preço e grande, a economia também .http://mamaeorganizada.blogspot.com/2011/06/algumas-dicas-para-economizar- creditos

MINHA VIDA ...✿ܓ





✿ܓTempo de meditar




Foco ....


Sente-se .....


. Varrer as teias de aranha dos cantos da minha mente, e continuar com o meu dia"tarde de Verão -. tarde de verão ..... as duas mais belas palavras

dormir


DURMA EN PAZ ✿ܓ






Nossos travesseiros são feitos com capa de algodão crú e aplicação estilo patchwork. Vêm com bula e indicação de validade.Este e´o armario aqui de casa

Recheados com sementes, folhas e flores, você pode optar pelo aroma que mais lhe agradar:

LAVANDA (Lavandula officinalis)
Insônia, medo do escuro, excitação nervosa.

LAVANDA COM ROSAS BRANCAS (Lavandula officinalis e Rosa canina)
Depressão, medo, nervosismo.
ERVA-DOCE (Pimpinella anisum)
Fadiga, medo, nervosismo.
MACELA-DO-CAMPO (Achyrocline satureoides)
Distúrbios do sono.
CAMOMILA (Matricaria recutita)
Hipersensibilidade, cansaço, dor de cabeça, irritação.

MENTA (Mentha piperita)
Refrescante, levemente calmante e balsamico.



Nessa época de ano, com muita chuva e muita preguiça, graças às férias merecidas, nada melhor do que tirar umas sonequinhas no meio da tarde. Melhor ainda se essa sonequinha, além de um sono de beleza, também se tornar um sono reparador e que pode fazer bem pra sua saúde. Para deixar sua casa perfumada e ainda lhe trazer benefícios, use ervas. Veja só:

:: Alecrim – para cansaço mental. Tônico.
:: Alfavacão – Antisséptico pulmonar, expectorante.
:: Alfazema (Lavanda) – Para insônia, nervosismo, TPM.
:: Camomila – Calmante.
:: Capim Limão – Calmante.
:: Eucalipto – Antisséptico, expectorante, para problemas do sistema respiratório.
:: Erva Doce – Calmante.
:: Guaco – Antitussígeno.
:: Hortelã – Tônico mental, para náuseas e sinusite.
:: Levante – Para bronquites, resfriados.
:: Manjericão – Para insônia, tensão nervosa, dores de cabeça.
:: Melissa – Para insônia, agitação.
:: Menta – Para estava mental, sinusite, náuseas.
:: Poejo – Para asma, tosse.
:: Sálvia – Para TPM, depressão e sistema respiratório.

A aromaterapia é a ciência que aplica óleos essenciais ou o aroma das plantas para re-equilibrar disfunções nas áreas física, emocional e energética. O poder curativo dos aromas já era conhecido há mais de 6.000 anos pelos egípcios e mesopotâmicos e hoje é um importante aliado na cura e prevenção de doenças.

Cuide-se e ainda tenha bons aromas ao seu redor! ;)Nossos travesseiros vem com capa bordado e podem ser feitos com camomila,lavanda macela erva doce


anti alergico anti mofo com ervas desidratadas




BOM sonhos

a simplicidade do campo












Viver é inventar o seu dia.


É desconhecer a arrogância.

Exalar pura energia.

Fazer poemas de amor.

Devolver sorrisos.

Acreditar que o bem vence o mal, sempre.

Enfeitar o coração com cores.

Conquistar amigos e ser sempre leal e fiel.

Transformar dor em alegria.

Ser amor de coração.

Inspirar justiça.

Viver é correr atrás dos sonhos, da inspiração, dos projetos.

Buscar entendimento das coisas.

Ser sempre da paz.

Agradecer às dádivas recebidas.

Buscar o que te faz bem e aos outros também.

Amar! Pintar o mundo com as cores que te der na telha.

Estar sempre jovem.

Viver é ser sempre verdadeiro.

É constantemente redescobrir as coisas belas da vida lembrando que o sorriso é o idioma universal.

Ouvir músicas que acalmem a alma.

Desacelerar e aproveitar o tempo, cada pequeno momento de prazer.

Lembre-se: o final não existe.

Tudo é um eterno recomeço.

Viver é, simplesmente, ver a vida com o coração.fazer de um lugar feio descampado seu paraíso fazer com coisas simples tudo ficar bonito ser dedicada carinhosa delicada mesmo quando tiver vontade de chorar.....




MUDE


mude sua casa reinvente faça diferente

O prazer de fazer seu travesseiro com ervas e linho com bordadinhos muitas vezes de saco de chão que e´o saco de farinha....




Não lembro em que momento percebi que viver deveria ser uma permanente reinvenção de nós mesmos — para não morrermos soterrados na poeira da banalidade embora pareça que ainda estamos vivos.

Mas compreendi, num lampejo: então é isso, então é assim. Apesar dos medos, convém não ser demais fútil nem demais acomodada. Algumas vezes é preciso pegar o touro pelos chifres, mergulhar para depois ver o que acontece: porque a vida não tem de ser sorvida como uma taça que se esvazia, mas como o jarro que se renova a cada gole bebido.

Para reinventar-se é preciso pensar: isso aprendi muito cedo.

Apalpar, no nevoeiro de quem somos, algo que pareça uma essência: isso, mais ou menos, sou eu. Isso é o que eu queria ser, acredito ser, quero me tornar ou já fui. Muita inquietação por baixo das águas do cotidiano. Mais cômodo seria ficar com o travesseiro sobre a cabeça e adotar o lema reconfortante: "Parar pra pensar, nem pensar!"

O problema é que quando menos se espera ele chega, o sorrateiro pensamento que nos faz parar. Pode ser no meio do shopping, no trânsito, na frente da tevê ou do computador. Simplesmente escovando os dentes. Ou na hora da droga, do sexo sem afeto, do desafeto, do rancor, da lamúria, da hesitação e da resignação.

Sem ter programado, a gente pára pra pensar.

Pode ser um susto: como espiar de um berçário confortável para um corredor com mil possibilidades. Cada porta, uma escolha. Muitas vão se abrir para um nada ou para algum absurdo. Outras, para um jardim de promessas. Alguma, para a noite além da cerca. Hora de tirar os disfarces, aposentar as máscaras e reavaliar: reavaliar-se.

Pensar pede audácia, pois refletir é transgredir a ordem do superficial que nos pressiona tanto.

Somos demasiado frívolos: buscamos o atordoamento das mil distrações, corremos de um lado a outro achando que somos grandes cumpridores de tarefas.Quando o primeiro dever seria de vez em quando parar e analisar: quem a gente é, o que fazemos com a nossa vida, o tempo, os amores. E com as obrigações também, é claro, pois não temos sempre cinco anos de idade, quando a prioridade absoluta é dormir abraçado no urso de pelúcia e prosseguir, no sono, o sonho que afinal nessa idade ainda é a vida.

Mas pensar não é apenas a ameaça de enfrentar a alma no espelho: é sair para as varandas de si mesmo e olhar em torno, e quem sabe finalmente respirar.

Compreender: somos inquilinos de algo bem maior do que o nosso pequeno segredo individual. É o poderoso ciclo da existência. Nele todos os desastres e toda a beleza têm significado como fases de um processo.

Se nos escondermos num canto escuro abafando nossos questionamentos, não escutaremos o rumor do vento nas árvores do mundo. Nem compreenderemos que o prato das inevitáveis perdas pode pesar menos do que o dos possíveis ganhos.

Os ganhos ou os danos dependem da perspectiva e possibilidades de quem vai tecendo a sua história. O mundo em si não tem sentido sem o nosso olhar que lhe atribui identidade, sem o nosso pensamento que lhe confere alguma ordem.

Viver, como talvez morrer, é recriar-se: a vida não está aí apenas para ser suportada nem vivida, mas elaborada. Eventualmente reprogramada. Conscientemente executada. Muitas vezes, ousada.

Parece fácil: "escrever a respeito das coisas é fácil", já me disseram. Eu sei. Mas não é preciso realizar nada de espetacular, nem desejar nada excepcional. Não é preciso nem mesmo ser brilhante, importante, admirado.

Para viver de verdade, pensando e repensando a existência, para que ela valha a pena, é preciso ser amado; e amar; e amar-se. Ter esperança; qualquer esperança.

Questionar o que nos é imposto, sem rebeldias insensatas mas sem demasiada sensatez. Saborear o bom, mas aqui e ali enfrentar o ruim. Suportar sem se submeter, aceitar sem se humilhar, entregar-se sem renunciar a si mesmo e à possível dignidade.
Sonhar, porque se desistimos disso apaga-se a última claridade e nada mais valerá a pena. Escapar, na liberdade do pensamento, desse espírito de manada que trabalha obstinadamente para nos enquadrar, seja lá no que for.

E que o mínimo que a gente faça seja, a cada momento, o melhor que afinal se conseguiu fazer.

um dia eu tinha perdido as esperanças

  



 

Aqui estou eu a tomar um café.


Eu sou uma dona de casa . Sobre mim o melhor que posso dizer e ser um boa pessoa: eu gosto. adoro fazer comida inventar moda costurar plantar colher embora todos digam que trabalho demais.. eu gosto mesmo assim ...) e manter a casa em ordem. Organizar e tirar algumas fotos que eu posso com partilhar com você. Sim, é parte do papel de dona de casa














Eu prometi mais algumas fotos da casa agora tranquila. não tenho fotos então coloquei esta
E com eles eu conto esta história pouco:


Minha avó e meu avô morava em uma fazenda em uma vila linda e eu não conseguia pensar em nada melhor lugar para passar férias. Normalmente, eu apenas cresci lá para todos os feriados. Estávamos no trabalho da mola (aração e assim) na primavera, feno (capim seco) no verão e da colheita no outono. Na fazenda havia muitos dificuldades eu era pequena e ia visitar todos os cantos e recantos, em todos os cantos Eu procurei e encontrei. Toda vez que eu fui a casa de vovó e vovô, eu tinha pequenos tesouros comigo. lembranças eu tinha comigo e com elas na fazenda tem sido minha inspiração desde . É a base para o meu estilo de design de interiores e interesse. E não menos importante, eu queria ir eu gostaria que nossa casa fosse como a da vovô e do vovó e esta ficando cada dia mais, fui a horta colhi tudo que preciso pro almoço e agora vou preparar acompanhem

Por que me dizer isso agora?
Sim, porque isso também ajudou a dar-me um desejo especial para minha vida e a paz e o encanto encontrados em uma casa. Eu uso todos os seus sentidos quando estou em casa. Gozando com tudo de que a de mim. E eu vou voltar novamente e novamente. Meu marido me ajuda a sonhar e fazendo as coisas
Sonhando longe. sempre pensamos
Talvez possamos encontrar também um pequeno sitio uma vez ?Um lugar que poderíamos fazer nosso próprio paraíso ... e ai achamos

mas por agora nós temos uma casa linda aqui em casa ( renovar). E nos alegramos nela. E realmente, não temos chance de começar sempre bem, vindo a casa :


Desta vez fomos até a cidade para fazer algumas compras. E neste dia especial, era dia de mercado.. Um pouco como um antigo mercado.




No caminho para casa nos dirigimos também visitou uma fazenda onde, entre outras coisas, a venda de queijos mel e suco. Eu amo que as pessoas possam viver com a venda de coisas em suas fazendas! Que o povo seguir seu sonho para executar um próprio. Sabemos que é difícil, mas há algo sobre a paz que você entrar em tais lugares. É algo que eu quero e tenho. . Talvez fechar meus olhos e sonho-me de volta no tempo como ele estava aqui quando os cavalos foram substituídos por carros. Quando as senhoras ainda usavam saias e as crianças corriam descalços na grama. Gostaria muito de retornar apenas um dia no passado

Mas não é assim que você pode viajar no tempo. Mas você pode ré-criar algo cobrindo uma mesa com legumes frescos. Você pode ré-criar algo fazendo alguns bolos doces. Você pode recriar alguns dos últimos usando velhas receitas. Você pode recriar o passado, deixando os móveis antigos de pé e usar os utensílios de cozinha velho (na medida em que vai ...) Sim, você pode criar seu próprio paraíso. Seu paraíso antiquado .... E agora, mais do que eu poderia, Mais do que nostalgia aqui ... Mas isso é tão profundo em mim e eu gosto de ser capaz de fornecer de modo que traz algumas deste estilo antigo.Ri e eu fazemos aqui na nossa casa também. xoxo

viver


A vida na roça


Esta poesia é um sentimento aflorado que estou sentindo

Deixei Minha CidadePra Viver sem interiorOnde a Vida e Mais BelaJuntinho com Meu AmorOnde reina alegriaPureza e amor ...

Na Minha casinha simplesLá no alto da MontanhaFeita de pau apiqueCobertinha com sapêEu vivo a NaturezaE tenho Muito Prazer ...

Aqui no sertão MeuEu Vejo tudo de bomEu tenho nd Vida PrazerNao tenho tristeza nao (2x)Bebo uma cascata da ÁguaDa Fonte Que encanta e mataA saudade do povão ...

Ouvindo uma serenataNa Mata do RouxinolQue desconhece uma melancoliaTraz-me hum canto de alegriaDando Vida e sabedoriaPra eu entendre PoderQue Aqui Vida na RoçaNao Ameaça, Nem embaça,E Pureza e Prazer ...



Autoria: Nadir Vilelaum banho dia de solÉ bom para um cavalo também, e entrar na água





gosto de caminhar na agua



Mas ele gostou da água,




eu e ricardo fizemos um piquinique e curtimos os momentos

os que nos restavam


Tinha um piquenique cesta-, com salame
. Cenouras para os cavalos.




É ótimo andar a cavalo aqui tivemos
para pedir uma praia por um vizinho amável. Provavelmente não é
em qualquer lugar cavalos são bem vindas.







No caminho para casa após os campos com verdes
pastagens.
Agora eu tenho férias tão bom. Na sexta-feira
, será uma viagem para campinas entao deixando as coisas en ordem

passaros

center>