musica

1 de mar de 2012

travesseiros






Mas sinceramente?
Tenho muita saudade do meu travesseiro de marcela...cheirooooso!!!... Tenho saudades também dos travesseiros de pãina, quando perdia o sono, ficava contando os carocinhos (sementinhas) esquecidas dentro do travesseiro...ah!! como era bom!!!!!
Vocês devem me achar saudosista demais nê?
Mas fazer o que? Tenho saudades mesmo...uai!!!!!
Mas tudo isso, é para que esta nova geração venha também conhecer como se vivia a algum tempo atrás...
Receita

1m de manta acrílica
1m de algodão (tecido)
1 saco de flocos de espuma
1 maço de Alecrim desidratado
1 maço de Camomila desidratada
1 maço de Macela desidratada

Modo de fazer:

Costure o algodão no tamanho desejado para travesseiro ou almofada,
Com linha também de algodão.
Abra a manta acrílica e despeje os flocos de espuma
Coloque os maços de ervas e feche o retangulo de modo que as ervas fiquem no meio do travesseiro.
Costure as pontas abertas e envolva no retangulo de algodão.
Coloque o travesseiro no sol de 15 em 15 dias.faço aqui na roça dou de presente e faço pra nos e e muito gostoso mudando de assunto


- o PÃO DE QUEIJO sento aqui paro para blog ar e tomo meu leite fresquinho e quentinho


Depois de falarmos sobre o queijo- de- Minas, não poderia deixar de falar sobre o nosso pão de queijo...outra iguaria que não falta na mesa aqui no meu cantinho...receitas diferentes, trazidas dos caderninhos das vovó, mas todas deliciosas...eu mesma já tentei várias , mas a que foi escolhida aqui em casa, depois dou a receita para vocês






E só você chegar a mesa vai enchendo só pra ti alegrar



Estudos dizem que o pão de queijo surgiu na época dos escravos. A mandioca era o pão do índio brasileiro. O ovo e o leite é uma herança dos portugueses, que com o polvilho, reinventaram o pão de queijo. Há outros indícios de que a receita tenha aparecido nas fazendas de Minas , quando as cozinheiras preparavam para servir seus senhores, na época em que havia grande oferta de leite, ovos e queijos, em função da expansão da pecuária.





Naquela época, não se imaginava que o pão de queijo fosse ultrapassar as fronteiras "das Minas Gerais", muito menos que ganharia o mundo. Comer queijo após as refeições era hábito antigo, mas no século XIX, o queijo sobrava e endurecia. Como a farinha que chegava até as fazendas era de baixa qualidade, as cozinheiras passaram a substituí-la por polvilho nas receitas dos pães.
Somente na década de 1960, o pão de queijo expandiu sua carreira de sucesso, principalmente em Minas Gerais. Coincidente mente nessa época aconteceu o desenvolvimento das quitadas. Rapidamente, em todo o país se consumia e apreciava essa iguaria, que tornou-se tipicamente mineira.


Por que o pão de queijo é tradicionalmente conhecido como mineiro?




Pesquisadores dizem que comida e identidade são universais, e que a última coisa que um migrante se esquece é a língua e sua culinária.




A origem do pão de queijo se confunde com a própria origem da culinária mineira, porque acompanha a evolução de seus ingredientes: primeiro surgiu a goma, vinda da mandioca sob a forma do polvilho doce ou azedo; depois a gordura de porco, o sal, o ovo, o leite, a nata, a manteiga e por último o queijo, que aos poucos incorporou-se ao biscoito de goma (precursor do pão de queijo) moldados sob a forma de pequenas bolinhas e finalmente assados.



Basta visitar várias casas de famílias mineiras para ver que em todas elas irão te oferecer nem que seja um café, acompanhando de que? Pão de queijo (de preferência), claro! Daí o motivo das pessoas dizerem que os mineiros são hospitaleiros e apaixonados pela receita.

Até nas refeições o pão de queijo é servido

Nenhum comentário:

Postar um comentário

volte sempre

passaros

center>